À Descoberta de Canha: Museu Etnográfico

Canha, antiga Villa Nova de Cayna, segundo apontamentos e pergaminhos encontrados, é uma povoação tão antiga como a nacionalidade portuguesa. Situada na margem esquerda da Ribeira de Canha ou Ribeira de Almansôr, esta antiga vila de origem medieval, é a freguesia mais distante da atual sede de concelho. De características rurais, é dotada de uma beleza natural e paisagística de grande atratividade. A Freguesia de Canha é a mais antiga localidade do concelho do Montijo. Possuiu autonomia administrativa enquanto sede de concelho do mesmo nome até 1838, data em que passou a fazer parte do concelho de Aldeia Galega, atualmente Montijo.

Diz a lenda popular que em Canha existia um castelo e um poço… quem deste se aproximasse à meia-noite, em noite de luar, acharia um tesouro!

No centro da vila encontremos o Museu Etnográfico de Canha, situado na antiga casa de um médico local, o Dr. Maurício. A etnografia é um ramo das ciências humanas que tem por objeto o estudo da cultura de uma comunidade ou de algum dos seus aspetos fundamentais.

De paredes meias com o Alentejo, o traçado do casario da vila, caiado de branco, na sua maioria de piso térreo, apresenta aqui e ali, um elemento característico – a grande chaminé alentejana, onde no inverno arde o azinho e fumam-se os enchidos.

Inaugurado a 25 de Abril de 2007, após a adaptação da casa para espaço museológico, o Museu Etnográfico de Canha tem patente uma exposição permanente intitulada “O Ciclo do Arroz”. Canha é o único local do município onde se cultiva arroz fazendo parte da denominada Lezíria do Tejo. Portugal é o terceiro maior produtor de arroz na União Europeia. Sabemos que atualmente o arado, a tração animal, a enxada ou a foice não passam de recordações dos
mais velhos visto que agora os campos são fertilizados de avioneta e as colheitas fazem-se com ceifeiras debulhadoras de última geração. A importância desta exposição é, precisamente, oferecer-nos uma visão do passado, de como era a vida nos arrozais e mostrar-nos os trajes e artefactos próprios deste cultivo.

Também fazem parte da coleção permanente, os quadros da artista Cristina Archer que ilustra o tema “Igrejas da Região”. O Museu acolhe também exposições temporárias de fotografia, desenho e pintura de artistas plásticos do concelho.

Mulheres na Colheita de Arroz


Contactos

Morada: Rua do Castelo – 2985 Canha

Horário dias úteis: das 10:00 às 12:30 e das 15:00 às 17:00

Fim de semana: visitas guiadas mediante marcação prévia

Telefone: 265 897 859

Email: museu.canha@gmail.com

Facebook

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo