Sons no Montijo traz culturas diferentes à cidade

A 2ª edição promete ser maior do que a 1ª

A cidade do Montijo vai encher-se de música ao som de bandas em estilos diferentes, que nesta segunda edição e sob a batuta da associação “Somos Peixinho”, quer ultrapassar o sucesso do ano passado. 

Às bandas portuguesas, com destaque para o grupo “Quinta do Bill” a comemorar os 35 anos, juntam-se três bandas estrangeiras oriundas do Canadá, Noruega e Itália. 

O Festival “começa no início de Junho tendo como cenário o pôr do sol no Montijo com os flamingos a levantarem voo”, destaca Fernando Belo, “vamos apostar na magia do espaço ao ritmo da música”. 

Para o presidente Nuno Canta “não é fácil implantar festivais e é preciso ter muita coragem e resistência e os organizadores possuem essas dinâmicas”. O autarca destacou “quem montou este festival, a associação ´Somos Peixinho` apostou na junção de vários estilos e este evento marca por isso”. Nuno Canta destaca “há a preocupação de nunca esquecer as bandas novas e os jovens” e para o Montijo “é um orgulho ter um Festival com este empenho, que lhe irá dar outra projeção musical” e reafirma “trata-se de um caminho trilhado com coragem e resistência com o lançamento de novas bandas”. 

A Cultura não é um custo… 

A Câmara do Montijo aposta num investimento maior que em relação à primeira edição, quer a nível da logística e da isenção de taxas, mas para Fernando Belo “a cultura não é um custo, mas um investimento” e o programa associa bandas jovens, a bandas que são referência como “Quinta do Bill” e Mão Morta”, mas também se aguarda com grande expetativa a atuação da banda “Calmex” com músicos do Montijo. 

No dia 2 de Junho o espetáculo irá decorrer na Casa da Música, que foi recentemente inaugurada, sendo um dos espetáculos gratuitos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo