Jannah Theme License is not validated, Go to the theme options page to validate the license, You need a single license for each domain name.

Um percurso turístico por Atalaia

Uma das freguesias do concelho do Montijo, a Atalaia distingue-se pelos vestígios históricos e pelo património religioso vincado.

De acordo com o historiador Rui Azevedo, em 1249 já haveria uma referência à “carreira da Atalaia” ou caminho de carros, pelo que por esta altura a Atalaia seria apenas um lugar de passagem para o Alentejo. Esta freguesia antiga tem, na sua génese, uma presença muito acentuada de património cultural e religioso e, inclusive era um local de passagem obrigatória para muitos peregrinos que vinham de todo o país mostrar a sua fé. Neste artigo, sugerimos um percurso turístico pela Atalaia.

Património cultural e religioso

Ao entrar pela EN4 encontra o Cruzeiro-Mor, um dos três cruzeiros que pertencem ao Santuário de Nossa Senhora da Atalaia. Um cruzeiro quinhentista, mandado construir pela Confraria de Lisboa, no ano de 1551, de estilo gótico bizantino em pedra lioz. Segundo a tradição, todos os círios quando chegam à Atalaia dão três voltas ao Cruzeiro-Mor com uma vela grossa de cera.

Cruzeiro-Mor da Atalaia_ DR

De seguida, sugerimos uma visita ao Museu Agrícola da Quinta Nova da Atalaia, um testemunho do passado agrícola que conserva os bens culturais relacionados com a vida rural que marcam a história social e económica do concelho do Montijo. É neste espaço de entrada gratuita que se encontram memórias e vivências de outros tempos.

Museu Agrícola da Atalaia_ DR

Mais acima fica o Cruzeiro de Alcochete, mandado edificar por uma família de Alcochete, em 1669, de acordo com a inscrição numa das suas faces. Localiza-se à direita da igreja, próximo do limite da freguesia e do concelho.

O Museu dos Ex-Votos é o espaço que se segue e apresenta uma variedade de objetos de expressão artística que, segundo conta a história, foram oferecidos por fiéis para mostrar a sua devoção. Os quadros têm um forte destaque e as suas legendas demonstram uma intercessão milagrosa da Senhora, a quem os fiéis confiavam a sua vida. A temática marítima é predominante, uma vez que foram vários os círios de pescadores que peregrinaram até à Atalaia.

Quadros presentes no Museu_ DR

Junto ao museu está a belíssima Igreja de Nossa Senhora da Atalaia, local que acolhe a feira da Romaria. Suba as escadas do santuário e, nesta colina com 60 metros de altitude, em dias límpidos, poderá usufruir das melhores vistas sobre o Tejo e toda a região circundante. Este santuário, tal como a maioria, tem na sua origem uma aparição divina. Dizem os crentes que a imagem da Nossa Senhora surgiu no alto da aroeira, próximo da Fonte Santa.

Igreja_ DR

A fechar o percurso encontra o Cruzeiro da Estrada ou das Esmolas, localizado a cerca de 150 metros do lado esquerdo da igreja. Em tempos, chegou a dispor de um mealheiro de ferro no pedestal para receber as esmolas dos devotos que por ali passavam.

Quanto à Romaria, ou Festa Grande, como lhe chamavam, era a maior festa que se realizava naquela época. Esta teve o seu início, provavelmente em 1507, aquando de uma terrível peste que dominou a capital. Perante esse cenário, um grupo de oficiais da Alfândega de Lisboa dispõe-se a formar um círio que após ter passado o rio, sai em direção ao Santuário da Atalaia, onde rogam a Santa Maria da Atalaia que os livrasse da peste.

Procissão em honra de Nossa Senhora da Atalaia_ DR

A partir de aí, organizados numa confraria, iniciaram uma peregrinação anual ao santuário que chegou até aos nossos dias e se celebra no último dia de agosto.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo