A cultura piscatória do Montijo conservada no Museu do Pescador

Hoje em dia no Montijo há menos de uma dezena de pescadores que utilizam esta atividade como meio principal de subsistência. Quando se inaugurou o Cais dos Pescadores do Montijo, em 2016, o número ascendia apenas a 16 pescadores profissionais. A poluição industrial é uma das razões que levou à quase extinção deste modo de vida. Outrora, o Montijo teria também a única pescadora chamada Maria Amélia. Descubra as vivências da Ti’Amélia aqui.

Desde 1988, que o Museu do Pescador existe na sede da SCUPA, na Av. Dos Pescadores. Contudo, este espaço museológico apresentava fragilidades, sobretudo ao nível das acessibilidades, espaço físico e mostra expositiva. As novas instalações, na Avenida Conde Ferreira, permitiram ultrapassar todas as barreiras que até aqui condicionavam este espaço museológico.
Com o objetivo de ser uma entidade viva, ligada à comunidade, o museu do Pescador é um espaço onde a comunidade piscatória se revê, nascendo como um símbolo da sua identidade, da sua cultura e dos seus costumes.

Veja ainda a reportagem onde o antigo pescador, Jorge Couves, nos mostra o interior do Museu e nos explica mais sobre a cultura piscatória do Montijo:


Contactos:

Avenida Conde Ferreira
2870 115 MONTIJO
Tel: 212301111
uniã[email protected]
Horário: sábados* das 14h00 às 18h00

*Reabertura prevista a partir de 5 de Abril de 2021 segundo indicações do Governo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo