Kitsch: o melhor rodízio de pizzas fica no Montijo

O Kitsch é “a arte de cozinhar e bem receber”. Situado no centro do Montijo, o restaurante é muito conhecido e acarinhado pelos montijenses e não só. Se quer comer um rodízio de pizzas italianas com ingredientes frescos, então o Pizzart é o restaurante que procura. 

Não, não nos enganámos a cima, escrevemos Pizzart porque inicialmente era este o nome do restaurante. No entanto com o passar do tempo, os proprietários resolveram mudar o nome mas Luís, o proprietário, explica-nos tudo.

Porquê mudar o nome do restaurante? “Há algum tempo que temos outro nome, agora é Kitsch. Mudámos por uma razão em específico, há um Pizzart em Aveiro e, há 7 anos atrás, quando abrimos o Pizzart, atual Kitsch, não sabíamos que havia uma pizzaria em Aveiro com o mesmo nome, e curiosamente tinha mais anos de casa do que nós. Estava a haver uma confusão de reservas porque algumas pessoas ligavam para fazer reservas na Pizzart em Aveiro e o contrário, daí a mudança do nome”,conta-nos Luís.

O Pizzart surgiu porque Luís e a sua esposa queriam criar um conceito diferente no Montijo, e aliar o artesanato à arte de confecionar pizzas de qualidade “O nosso principal interesse quando abrimos o restaurante foi juntar o conceito de pizza a arte. E juntar a arte porquê? Eu e a minha esposa sempre gostámos muito de artesanato, nós não somos propriamente da área da hotelaria. Tanto eu como a minha mulher somos professores de 1ºCiclo. 

O proprietário confessa “Hoje podemos considerar que a pizzaria tem sido um negócio de sucesso, mas pensámos que ia correr muito mal porque queríamos um negócio fora daquilo que era comum aqui no Montijo, porque na altura todos os restaurantes eram muito tradicionais e estávamos com um bocado de receio porque queríamos juntar Pizza e arte. E porquê? Nós gostamos muito de artesanato e, portanto, falámos com alguns artesãos portugueses, reconhecidos a nível internacional, e quando abrimos o restaurante tínhamos as suas peças à venda, dai tentar ligar as duas vertentes. Nós abrimos quase por brincadeira, mas ao fim ao cabo foi uma brincadeira com riscos grandes porque não tínhamos muita experiência. Inicialmente nem correu muito bem mas viemos a melhorar porque dedicámo-nos ao estudo do que é a pizza, que é o nosso produto principal”.

Kitsch

O nome Kitsch surge porque significa uma grande variedade de estilos e, no restaurante existe uma mistura de estilos, é tudo diferente. No entanto “tudo o que está lá dentro cria uma harmonia. Quem nos visita pode reparar que temos peças muito diferentes, mas apesar da diferença acabam por criar uma harmonia entre todas elas”, conta Luís.

Os professores do 1º ciclo, quando abriram o restaurante, nos Pescadores, tinham pratos à carta, no entanto as pessoas procuravam bastante o rodízio de pizzas porque não existiam muitos restaurantes a fazê-lo. O rodízio de pizzas são refeições muito completas e diferentes, é necessário “haver uma coordenação grande e um cuidado específico na escolha dos ingredientes. Daí ficarmos só com o rodizio de pizzas”, revela Luís.

Nós podemos garantir, comer no Kitsch é uma experiência única. Começa na apreciação da bebida da casa, continua com a degustação de um pão de alho e queijo e segue para o rodízio com pizzas salgadas, terminando nas pizzas doces, das quais destacamos certamente a pizza de doce de leite, experimente e diga-nos se não temos razão. E o melhor de tudo isto é que pode repetir o que quiser, as vezes que quiser.

Relativamente às pizzas salgadas, Luís destaca a pizza marinheira, que é a sua preferida. Os ingredientes são: tomate, camarão, delícias do mar, cogumelos, emmenthal, mozarela e coentros. No entanto, o proprietário diz-nos que há muitos clientes que gostam muito da pizza de frango e natas. 

A marguerita é a pizza na qual conseguimos ver como elas são mesmo boas, porque “temos apenas a base, o tomate e a mozarela”,ou seja, conseguimos apreciar o que faz uma pizza ser uma pizza.

Luís conta-nos que o que diferencia o Pizzart de outros restaurantes é o facto de “Nós não fazemos pizza de massa alta, que é mais americana, o que fazemos é estilo italiano e temos vindo a melhor e a evoluir. A farinha é importada de Itália, tipo 00. O tomate é importado de Itália também, não sendo tão ácido. Todos os ingredientes que colocamos na pizza tentamos que sejam biológicos, tanto que temos uma horta  em casa de um familiar onde cultivamos tudo o que metemos na pizza, desde a rúcula, manjericão, ao tomate cherry e outros. É isso que diferencia a pizza”.

Kitsch

Mas todos os restaurantes têm um ingrediente secreto para o sucesso, e o do Kitsch é “Sem dúvida, primeiro a comida em si. Temos um cuidado extremo com a escolha dos ingredientes, é o principal mas não é só. Também primamos por ter um atendimento de excelência, as pessoas podem voltar porque gostam da pizza, mas se o atendimento não for bom, dificilmente as pessoas voltam, portanto é uma conjugação dos dois fatores. Ao longo dos 7 anos, temos conseguido manter a mesma equipa, é tudo uma conjugação entre uma boa equipa de sala, uma boa equipa de cozinha e a escolha dos melhores ingredientes que forma um bom restaurante, porque é muito difícil perdurar no tempo se não se criar uma boa equipa”.

Quando entramos no restaurante deparamo-nos logo com a Betty Boop, e com outros tantos elementos distintivos. A decoração “surgiu mais pela minha mulher, que tem umas ideias mais excêntricas. Inicialmente, quando criámos o Pizzart, grande parte das peças que estavam na pizzaria eram as peças que estavam na nossa casa”.

Kitsch

O Kitsch também faz entregas na zona do Montijo e Alcochete e têm vários menus para escolher o que prefere. Experimente a pizzaria que tem o melhor rodízio de sempre e delicie-se. 

Contactos

Travessa Cândido José Ventura, Nº4 2870 Montijo

961 409 542

pizzart016@gmail.com

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo