O Passado Português: “(…) não há nenhum mercado municipal no distrito de Setúbal com uma banca como a nossa”

É no Mercado Municipal do Montijo que O Passado Português evoca memórias de tempos passados, apresentando aos fregueses as marcas tradicionais portuguesas.

São 7h da manhã e o Mercado Municipal do Montijo abre as suas portas para receber os fregueses. Fruta brilhante, peixe do dia e legumes frescos a encantar as bancas fazem parte de qualquer mercado, mas é O Passado Português que torna o mercado montijense único. Pasta de dentes Couto, Creme Benamôr e Farinha Amparo são apenas três dos produtos tradicionais que costumam apelar à nostalgia de quem passa.

Os fregueses são encaminhados pelo aroma, mas também pelo reconhecimento de uma marca que se nasceu na cidade há sete anos. O Passado Português evoca as memórias dos mais velhos, mas também já começou a seduzir os mais novos com artigos de marcas tradicionais portuguesas na área da alimentação, cosmética e bem-estar.

Eu não preciso de vender os produtos porque eles vendem-se a si próprios. São mesmo bons. São as melhores marcas nacionais”, garante Sérgio André, responsável pelo negócio. Tudo começou em 2014 quando o empreendedor sentiu dificuldade em encontrar artigos de barbear que satisfizessem as suas necessidades. “Eu tenho a pele um pouco sensível e corria as lojas para experimentar produtos novos. Até que dia encontrei um site que vendia produtos de barbear à antiga. Gostei bastante e pensei «Se eu gosto, outras pessoas também irão gostar», conta.

A marca vende uma grande variedade de artigos

Sozinho, Sérgio André decidiu avançar e criar uma loja online que privilegiasse o que é nacional e, acima de tudo, a qualidade. Então, aconteceu o inesperado e o montijense confessa que “as vendas começaram a ganhar outra dimensão”. Com pedidos e encomendas constantes, em 2015, O Passado Português tornou-se uma marca registada e, hoje em dia, faz chegar Portugal a países como Suíça, Alemanha e Brasil.

O tempo era escasso para todo o trabalho que o negócio exigia, então o proprietário lembrou-se de abrir uma banca no Mercado Municipal da cidade onde pudesse ter um contacto mais próximo com os seus clientes. “O que me dá mais satisfação no negócio é a reação das pessoas quando vêem os produtos. Quem vai pela primeira vez ao mercado, para quando passa pela banca e sente-se a nostalgia no ar”, afirma.

A juntar à cosmética e bem-estar, em 2018, O Fiel Amigo trouxe à banca d’O Passado Português o bacalhau, o azeite e o vinho de Pegões. Desta parceria, o empreendedor revela que “São produtos que se encaixam na perfeição porque é quase como uma mercearia. Tudo é tradicional, desde o bacalhau, ao azeite e às conservas”.

Sérgio André acredita que a nacionalidade e a tradição se têm vindo a perder, mas confessa saber como as pessoas gostam de confiar na qualidade de um produto. “Habitualmente, os pais vêm à loja e compram produtos para si, mas também para os filhos. Existem miúdos que começam a fazer a barba pela primeira vez e os pais oferecem uma máquina à antiga que vendemos (…) Há um rapazinho que adora perfumar-se com água-de-colónia e lavanda. Não usa mais nenhum perfume”, revela.

O vinho de Pegões é um dos produtos d’O Fiel Amigo

A tradição e o saudosismo encantam fregueses e comerciantes que garantem que O Passado Português faz a diferença onde quer que esteja. “O Clube Náutico de Alcochete costumava organizar um mega evento no último sábado de cada mês. Pessoas que viviam em Santarém ligavam-me para saber se eu lá ia estar porque vinham de propósito para buscar coisas (…) Mesmo quem tem bancas nos mercados quer saber sempre quando lá estou porque dizem que faz toda a diferença na afluência de clientes”, revela.

Também nas ruas do Montijo, o empreendedor notou que as drogarias “que passaram a privilegiar os produtos vendidos nas grandes superfícies, estão agora a tornar a investir neste tipo de artigos. O que é muito bom!“, afirma. Para o futuro, para além de esperar a finalização das obras no mercado de Alcochete para dar seguimento a uma parceria que se iniciou em tempos, Sérgio André pretende continuar a evocar memórias de um passado que, graças a si, se torna cada vez mais presente.

Contactos


Telemóvel: 91 630 59 08 – Mercado Municipal do Montijo (Todos os sábados)

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo