100 Culpa: O espaço onde pode comer sem desculpa

SAIBA MAIS:

 O 100 Culpa é um espaço no Montijo onde pode desfrutar de um delicioso crepe, waffle ou croissant. No local, pode tirar fotografias bonitas à decoração e aos pratos bem decorados, para colocar no seu Instagram. Já temos a sua atenção? Se gosta de apreciar um bom lanche, mas está cansado da tradicional torrada acompanhada por um galão, então continue a ler este artigo porque encontrámos o espaço ideal para comer sem culpa.

Entrámos no 100 Culpa por volta das 12h00, quando ainda a D. Joana Monteiro e a sua equipa estavam a preparar o dia. Certo é, que o cheiro a croissant fresco e a crepe já predominavam no ar. O bom ambiente, sonorizado com uma música calma, convidava a desfrutar de um bom serão numa mesa rodeada de amigos ou família, ao sabor de um belo crepe, quiçá com Nutella e uma bola de gelado para contrastar o quente com o frio.

À conversa com a proprietária do espaço, Joana conta-nos que 100 Culpa é um nome diferente, criado com o intuito de se algum dia não conseguissem singrar apenas com croissants, crepes e gelados, pudessem reinventar-se. Segundo a empresária, o nome surgiu “Também porque acaba por ser uma forma de a gente às vezes brincar e entrar com o cliente e dizer que é sem desculpa. Não se preocupe que pode comer à vontade, pode usufruir à vontade que é mesmo sem culpa ou sem desculpa”.

Com uma panóplia de opções na sua carta, deste o tradicional crepe/ waffle com Nutella ao crepe salgado de Pizza, a proprietária revela que o crepe Tutti Fruti é o  seu favorito. Define o crepe sugerido como apetitoso. Gosta de empratar com carinho e gosto, para ficar bonito e poder ver a reação de surpresa do cliente. 

“O crepe leva imensa fruta, como banana, kiwi, manga, morango e fica delicioso”. Por apenas 4,50€, pode pedir este crepe que a D. Joana promete que é de comer e chorar por mais. Se preferir uma experiência diferente, a empresária sugere também o clássico crepe gelado que também diz ser muito bom.

Os ingredientes são sempre frescos e com qualidade, feitos no próprio dia, “nada é pré-feito, as massas são feitas com a nossa energia, amor e vontade de estar aqui”, diz-nos Joana.

Quando abriu o negócio, há dois anos, a proprietária conta-nos que não sabia nem tirar um café. ”Era esse o desafio que procurava, queria algo novo, algo inovador que permitisse começar do 0 e ir aprendendo com o negócio”.

O agradável espaço foi decorado com artigos “em segunda mão, são coisas que tínhamos em casa, como a cabeceira da cama. Reutilizámos imensas coisas porque não tínhamos um grande budget e pensámos: vamos ter que dar asas à imaginação e, desta forma, comprámos tudo em segunda mão, com muito carinho e vontade de começar.

O 100 Culpa, com uma zona extensa de estacionamento “começou do nada. Trabalhei muitos anos em papelaria e despedi-me. Sempre quis ter uma coisa minha, não com o intuito de ser um restaurante ou snack-bar, mas tinha vontade de ter alguma coisa”, conta-nos.

O Montijo foi o sítio eleito para Joana, porque, além de morar na cidade, abriu o negócio pela oportunidade que surgiu de uma falha no mercado “eu e as minhas amigas saíamos muito para lanchar a sítios engraçados e diferentes e, aqui no Montijo e arredores não havia nada a não ser apenas pastelarias e pensei em abrir uma coisa  aqui na cidade. Porque não abrir algo deste lado, como crepes, waffles, coisas doces que as pessoas gostam? Mesmo que seja algo mais calórico, as pessoas acabam sempre por gostar de chocolate porque transmite uma sensação de felicidade”.

Joana, que trabalhou numa papelaria durante 12 anos, revela que a energia de quem trabalha no 100 culpa é um fator crucial para o seu sucesso, “os clientes encontram aqui uma energia diferente, sorriem assim que entram , pela empatia que criaram anteriormente connosco e com o espaço.  Antes de tudo, o segredo do sucesso é o que damos de nós ao cliente”.

Apesar de várias pessoas terem dito que seria um risco abrir o negócio na cidade do Montijo, a proprietária arriscou “Acreditei que se formos bons, as pessoas vêm até a nós e foi o que aconteceu”.

No estabelecimento pode pedir um crepe salgado, um crepe doce, uma waffle ou se preferir viajar até à gastronomia francesa, pode sempre pedir um croissant, sempre fresco e, para saborear sem culpa.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo