A Casa da Música Jorge Peixinho: Um Retiro Cultural e Natural na Quinta das Nascentes

Situada na belíssima Quinta das Nascentes, anteriormente conhecida como Quinta da Assenta, a Casa da Música Jorge Peixinho emerge como um novo tesouro cultural no coração do Montijo. 

O que outrora foi um espaço rural, com um chalé construído no início do século XX, destinado à habitação, encontrou uma nova vida após a sua aquisição pela Câmara Municipal do Montijo. 

Transformada num centro de excelência cultural, a Casa da Música Jorge Peixinho abriga não apenas um magnífico Auditório e um maravilhoso Jardim, mas também o Museu Jorge Peixinho, proporcionando aos visitantes uma experiência imersiva na vida e obra deste músico genial, reconhecido a nível internacional e natural do Montijo.

A Casa da Música Jorge Peixinho teve a sua inauguração solene no dia 25 de abril de 2023, uma data que coincide com as comemorações do 49.º, aniversário do Dia da Liberdade, uma data histórica para Portugal que remonta a 1974, mas que principalmente remonta à resistência antifascista a que Jorge Peixinho também pertenceu.

Esta nova casa de cultura está localizada na Avenida António Mourão, n.º 1, 2870 Montijo, e contém o Auditório da Casa da Música Jorge Peixinho, com uma programação única e diversificada, sob a supervisão da Companhia Mascarenhas-Martins. Fundada em 2015, a Companhia Mascarenhas-Martins é uma associação cultural com sede no Montijo, financiada pela República Portuguesa — Cultura / Direção-Geral das Artes, pela Câmara Municipal do Montijo e também pela Junta de Freguesia da União de Freguesias do Montijo e Afonsoeiro.

Outro dos destaques do local é o Museu Jorge Peixinho, um espaço integralmente dedicado a contar a história da vida, a obra, o pensamento e a música do compositor e maestro montijense. 

Criar um museu em torno de um músico é um desafio único, uma vez que a produção artística de Jorge Peixinho é imaterial — é a música em si. Diferentemente de museus dedicados a pintores ou escultores, nos quais as obras materiais podem ser exibidas, o Museu Jorge Peixinho concentra-se em trazer à vida a obra intangível do músico.

Para enfrentar esse desafio, o museu foi dividido em duas fases. A primeira, chamada “Fase Documental”, permite aos visitantes explorar a vida e as influências de Jorge Peixinho, bem como a sua contribuição para a música contemporânea. As secções desta fase incluem “Explorador de Sons”, que destaca a busca incessante de Peixinho por novas sonoridades, exibindo a sua coleção de instrumentos musicais de diferentes culturas. “Linha da Vida” traça o percurso de Jorge Peixinho, enquanto “Personalidades Marcantes” revela as suas raízes e influências musicais. 

“Grupo de Música Contemporânea de Lisboa” demonstra que Peixinho não estava sozinho na sua jornada, reunindo colegas que compartilhavam o seu entusiasmo pela música contemporânea. “Universo Íntimo na sua Casa” revela a sua paixão pela arte popular, e “Conexões com outras Artes e Artistas” destaca as suas colaborações artísticas pioneiras em Portugal.

Na segunda fase do Museu Jorge Peixinho, a tecnologia desempenha um papel fundamental. Os visitantes poderão desfrutar da música de Jorge Peixinho no conforto do Jardim das Nascentes ou do espaço da Casa da Música, graças à criação de três faixas musicais. 

A primeira contextualiza a música de Peixinho na história da música em geral, a segunda oferece uma análise da música do artista, enquanto a terceira proporciona uma experiência de descoberta livre da sua música. Este é, sem dúvida, o melhor tributo que se poderia prestar a Jorge Peixinho, um músico que desempenhou um papel fundamental na introdução e promoção da música contemporânea em Portugal.

O Jardim das Nascentes, com os seus cerca de 3,5 hectares de extensão, é uma parte essencial do complexo da Casa da Música Jorge Peixinho. Localizado estrategicamente na Reserva Ecológica Nacional e no Corredor Verde Urbano da cidade do Montijo, o jardim desempenha um papel vital na preservação dos valores ambientais, paisagísticos e hidrológicos da região, promovendo a diversidade ecológica. 

Ao longo dos anos, o jardim passou por uma transformação cuidadosa que o tornou um verdadeiro oásis natural, contribuindo para o equilíbrio ecológico e a qualidade de vida da comunidade local. Antes da sua adaptação como jardim, a antiga quinta já exercia uma função biofísica crucial na regulação da bacia hídrica da zona. Para lidar com as questões hídricas, grande parte das áreas pavimentadas no jardim foi projetada com pavimentos permeáveis, usando gravilhas e betão poroso. 

Isso não apenas contribui para a gestão das águas pluviais, mas também cria um ambiente propício para a vida selvagem. Uma área relvada, encharcável, foi semeada na bacia de retenção, atraindo pássaros e oferecendo um espaço de recreio nas épocas secas.

Além da sua importância ecológica, o Jardim das Nascentes foi concebido como um espaço cénico, recreativo e paisagístico da Casa da Música Jorge Peixinho. Inspirado pelo quadro “Interior Holandês I” de Miró, sendo uma reinterpretação do “Tocador de Alaúde” de Hendrick Sorgh, o ‘design’ do jardim incorpora elementos da arte na sua paisagem. 

A cabeça do tocador é representada no pavimento, com repuxos de água e uma área de estadia. O corpo do tocador forma a bacia de retenção, enquanto o alaúde é representado na praça, com feixes de luz e uma área plantada com a forma de uma mão a tocar. 

A cabeça e o corpo de uma mulher constituem duas zonas de jogos equipadas, e o filamento negro do quadro de Miró é refletido num percurso deambulativo até ao lago.

Concetualmente, o projeto do jardim rompeu com o uso original da quinta, marcando uma transição notável entre os propósitos passados e a nova função como espaço de contemplação e lazer. 

O Jardim das Nascentes foi projetado com uma rede de percursos para passeios contemplativos, jogging, ciclismo, e conta com bancos para estadia, jogos de música, xadrez e damas, jogos de água, uma área para pequenos espetáculos com um anfiteatro exterior, praça polivalente que serve de auditório e espaço para eventos diversos, workshops e quiosques. Além disso, há áreas de recreio informal e áreas verdes de enquadramento e proteção, que abrigam diferentes estratos de vegetação, incluindo freixos, salgueiros, ruscus, medronheiros, lodão, pilriteiros, liliodendro, pimenteira-bastarda, oliveiras e muito mais. Em resumo, o Jardim das Nascentes é muito mais do que apenas um complemento do complexo da Casa da Música Jorge Peixinho. 

É um espaço onde é recriado um ambiente natural, paisagístico e ecológico, que oferece oportunidades de lazer, contemplação e interação com a natureza, de importância estratégica para o município, mantendo a integridade dos valores ambientais e paisagísticos, o que o torna um espaço verdadeiramente único.

Finalmente, como parte das comemorações do 83.º aniversário do nascimento do Maestro Jorge Peixinho, a Câmara Municipal do Montijo inaugurou um Mural de Arte Urbana intitulado “Os Sons da Natureza”. Criado pelo artista Asur, o mural adorna a fachada envolvente do Jardim das Nascentes e da Casa da Música Jorge Peixinho, proporcionando um toque artístico único a este espaço cultural.

Em resumo, a Casa da Música Jorge Peixinho e o Jardim das Nascentes representam uma ode à cultura, à natureza e ao espírito inovador de Jorge Peixinho. Este é um local que se destaca como um ponto de encontro para a comunidade local e um destino obrigatório para os amantes da música e da natureza. Com as suas diferentes facetas, este complexo é um testemunho da diversidade e da riqueza cultural e ecológica que Montijo tem a oferecer.

A Casa da Música Jorge Peixinho é um verdadeiro tesouro cultural no coração de Montijo. Com o seu Museu inovador, o deslumbrante Jardim das Nascentes e uma programação rica e constante no Auditório, este local oferece uma experiência única que celebra a vida e a obra de um dos músicos mais influentes de Portugal. 

Além disso, a integração cuidadosa na paisagem e a preocupação com o meio ambiente tornam este espaço ainda mais especial. A Casa da Música Jorge Peixinho é um tributo vivo a um artista notável e um lugar que inspira e cativa todos que o visitam, certamente uma mais-valia para todos os montijenses.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo