Praça de Touros do Montijo: conheça a sua história

A antiga Praça de Touros do Montijo, que ficava localizada no local onde é atualmente o Cinema-Teatro Joaquim d’Almeida, foi demolida em 1950. A Comissão Pró- Praça de Toiros, constituída em 1949, teve como função a angariação de dinheiro para se erguer a nova Praça de Touros, em 1957. 

A antiga Praça de Touros era uma velha praça de madeira, tendo sido demolida em 1950 como ordem da Inspecção-geral dos Espectáculos, tendo em conta os sinais de degradação

A Comissão Pró-Praça, formada em 1949, teve como função a angariação de dinheiro para construção da nova Praça de Toiros, em 1957.

A Misericórdia, então proprietária, diligenciou junto da Câmara Municipal do Montijo, para a aquisição do terreno de forma a proceder à construção da que seria a atual Praça de Touros do Montijo.

Em 1953, a Câmara Municipal do Montijo cedeu o terreno, na zona do Mercado.

“O dinheiro, esse foi conseguido com o esforço dos elementos da Comissão Pró-Praça de Toiros, à cabeça dos quais figurava um dos nossos maiores aficionados das lides tauromáquicas, Amadeu Augusto dos Santos. Para além deste último, fizeram, igualmente, parte desta Comissão dois dos principais financiadores deste projeto, José Salgado de Oliveira e Isidoro Sampaio de Oliveira, para o qual contribuíram com um donativo de 100.000$00 e um empréstimo de 400.000$00, para as obras. Angariou, mais, a Comissão Pró-Praça a quantia de 60.000$00, com a realização de duas corridas de toiros, na Moita e no Campo Pequeno. Da Santa Casa da Misericórdia receberam 320.100$00, fruto da venda da antiga Praça de Touros, e do Governo Civil de Setúbal o subsídio de 200.000$00”, escreve a Santa Casa da Mesericórdia.

As obras para a construção da nova Praça de Toiros iniciaram-se no dia 1 de abril de 1957, segundo o projeto do arquiteto Amadeu José Gomes dos Santos, e terminaram em agosto.

No dia 1 de setembro de 1957, a Praça de Touros do Montijo foi inaugurada numa cerimónia que contou com o Governador Civil de Setúbal, Dr. Miguel Bastos.

A cerimónia decorreu durante o dia todo com festejos, mas a corrida de toiros “à antiga portuguesa” foi o momento alto da noite. Os cavaleiros D. Francisco de Mascarenhas, Dr. Fernando Salgueiro, Manuel Conde e D. Luís Ataíde foram as estrelas da lide. Os Forcados Amadores de Santarém encarregaram-se das pegas e as bandas da Sociedade Filarmónica 1.º Dezembro e a Banda Democrática 2 de janeiro trataram da música.

Vinte e cinco anos depois, Amadeu Augusto dos Santos foi homenageado, depois da sua morte, no Café Portugal.
A Misericórdia decidiu que, no intervalo da corrida, realizada nessa noite, “fosse descerrada uma lápide, fazendo justiça ao trabalho desenvolvido pela Comissão Pró-Praça de Toiros, e fosse atribuído a esta o nome de Amadeu Augusto dos Santos, em homenagem a um dos seus maiores obreiros”, contam.

Nos dias de hoje, a Praça de Touros recebe muitos eventos, sobretudo durante as Festas Populares do Montijo.

O Montijo on City mostra uma imagem antiga de uma das corridas “À Antiga Portuguesa” com mais espetadores, tendo lotado a Praça de Toiros.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo