Jannah Theme License is not validated, Go to the theme options page to validate the license, You need a single license for each domain name.

Rua António Aleixo: o poeta popular português

António Aleixo foi um poeta popular português. Ainda hoje permanece homenageado por todos os cantos do país.

António Fernandes Aleixo nasceu a 18 de fevereiro de 1899, em Vila Real de Santo António e ficou conhecido como um dos poetas mais influentes a nível nacional, afirmando-se pela ironia e pela crítica social sempre presentes nas suas obras. Era conhecido por ser um homem simples e humilde, mas foi também alguém que deixou um grande legado na escrita poética e no panorama literário português dos inícios do século XX.

Viveu uma vida marcada pelos infortúnios do seu caminhar. Em meio à pobreza, emigração e doenças, António Aleixo conseguiu vingar pela sua escrita, tendo passado por muitos outros empregos, como tecelão, polícia e servente de pedreiro, trabalho este que exerceu em França.

Após o seu período em países estrangeiros, voltou para a sua terra natal, o Algarve, e estabeleceu-se por Loulé onde vendia cautelas enquanto cantava e entoava as suas poesias em feiras portuguesas. Por esta sua faceta, era conhecido por muitos como o “poeta-cauteleiro”.

A sua escrita demarcava um olhar muito crítico da sociedade, mas também um pensamento muito reflexivo e filosófico sobre a vida e sobre os desígnios da mesma. A sua forma simples de compor ficou reconhecida quando o seu amigo e professor, Joaquim Magalhães, se aliou ao poeta e ajudou a compilar as suas peças numa só obra literária, o Quando Começo a cantar.

A 27 de maio de 1944 recebeu o grau de Oficial da Ordem de Benemerência.

Veio a falecer a 16 de novembro de 1949, vítima de uma tuberculose, doença que tempos antes havia vitimado uma das suas filhas. O seu espólio encontra-se fragmentado pelas diferentes zonas do Algarve, mas grande parte foi recolhida e reconhecida com grande qualidade literária.

Várias foram as homenagens prestadas ao poeta após falecer. O liceu de Portimão passou a ser conhecido como a Escola Secundária Poeta António Aleixo, bem como uma residência da Universidade de Lisboa. Várias localidades deram o seu nome a ruas e bairros, como é o exemplo do Montijo. Loulé acolheu a Fundação António Aleixo enquanto cidade-sede e têm desenvolvido um trabalho notório na atribuição de bolsas escolares aos alunos mais carenciados.

Também Vila Real de Santo António, terra onde nasceu, homenageou o poeta através da criação do Centro Cultural António Aleixo, um espaço destinado às artes, onde figuram salas de exposição, mostras de artistas, peças de teatro, espetáculos de dança e música e várias salas destinadas à realização de seminários, conferências e congressos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo